мԾndPąℓą۷яąS - єѕ¢яιτσяα Níνєα Sαвιησ - BℓԾG Lιτєяáяισ

domingo, 22 de julho de 2012




LIVRO: MARAVILHOSAS MULHERES EM VERSO & PROSA - ALL PRINT - (ORGANIZAÇÃO: COLUNA DESTAQUE RAIMUNDO NONATO )


O LIVRO FICOU MARAVILHOSO! ESSE É O MEU POEMA QUE FOI PUBLICADO

MULHER

Flor, livre sensor
Que aflora ainda no ventre
Materno amor...

Criança, menina, mulher,
Filha, irmã, mãe, avó.
Épocas distintas
Envolvendo a mesma alma
Que acalenta, ama e acalma.

Mulher, pleura de Deus
Suspiros e desejos
Sopro Divino
Criatura e criadora
Força geradora
Propagando vida, arrostando a morte
Espinho cravado na carne

Desejo, sonho, dor
Sinônimo de paixão,
No frio inverno, calor!



domingo, 15 de julho de 2012

sábado, 14 de julho de 2012

PRESSENTIMENTO



O sentimento de medo e de apreensão corrói a alma de Vitória. Alguma coisa grita em seu interior, como se algo anormal estivesse prestes a acontecer. As suas pernas estão gélidas debaixo do cobertor. O marido precisou fazer a viagem de última hora, e ela não conseguira sair mais cedo de seu trabalho e acompanhar Risoberto nessa empreitada. O casamento de pouco mais de dois anos está cada dia mais consolidado. Ambos se entendem perfeitamente bem, e sempre dividem todos os momentos da vida. A casa onde moram é bem segura, tem grades nas janelas, e a cerca elétrica protege contra a entrada de estranhos no local.
O jardim de muitas flores exala o perfume marcante da Dama da Noite que invade sorrateiramente o quarto semi-iluminado do casal. O doce perfume da flor faz Vitória pensar em como o Criador é gentil para a humanidade, e numa prece agradecida pede proteção para o marido que viajou, e suplica aos anjos que guardem sua casa e protejam sua família.
Vitória não consegue dormir no escuro, e quando ocorre imprevistos como esse de ficar só, deixa a lâmpada do banheiro acesa para iluminar parte do corredor e o seu quarto. A televisão fica ligada em som bem baixo para que nenhum barulho externo passe despercebido. Billy o cãozinho poodle faz- lhe companhia. Atento a tudo, permanece em posição de guarda.
Vitória demorou dormir, e por volta das quatro horas acorda com um barulho estranho, como se algum objeto pesado tivesse caído no corredor do lado de sua janela. As pernas ficam geladas, o coração dispara e ato contínuo Billy começa a rosnar. A jovem sente o estômago revirar em suas entranhas e um odor fétido inunda suas narinas. O homem magérrimo, sem camisa, olha para ela com um olhar faminto e enlouquecido. O grito sai de seus pulmões com uma força que nem ela mesma imaginava ter, enquanto o cachorrinho late e avança para o estranho. Ele ri. O riso dos loucos e desatinados e avança para Vitória, que sabe apenas gritar, gritar, gritar. Os vizinhos ouvem os gritos de pavor e correm para ver o que está acontecendo. Alguns tentam entrar, porém a cerca elétrica  e o alarme estão ligados. O portão está travado pelo cadeado. A polícia chega com o encarregado do alarme da residência que disparou acordando todo o quarteirão. Não se ouve mais o latido de Billy, nem os gritos de Vitória. A polícia invade a residência. O odor nauseabundo toma conta do ambiente e não há sinal algum do invasor.
Os únicos vestígios de que o mau feitor esteve dentro da casa é o cãozinho morto com as tripas para fora e a pobre mulher  estrangulada, jogada sobre a cama com os olhos arregalados.









ASSISTAM - JOSANE PEER - O POETA DO ROCK

Loading...

Total de visualizações de página

PAUSA PARA UM RELAX! Alimente os peixinhos com um click.